Tags

, ,

RUMO A BORA BORA

image

Como chegar: Partimos de Moorea em direção à Bora Bora no vôo de 15:00h, empresa Tahiti Air. Aeroporto muito pequeno e simples, só estava aberta uma lojinha de multiutilidades (Lembrancinhas locais, algumas poucas coisas para comer, revista) e uma loja de camisetas e biquínis brasileiros – pelo menos era o que dizia a bandeira de nosso país junto aos biquínis.

Pegamos um avião turbo hélice de uns trinta lugares – deixe de lado os pensamentos sobre dar algum problema em alguma hélice e relaxe!!! Na decolagem, podem imaginar a linda paisagem da ilha?! Foi encantador poder ver do alto, a beleza das diferentes tonalidades da praia e mar circundando a projeção de terra, fantástico!!!!.

O vôo é de 40 minutos com escala em Raiateia, outra ilha belíssima. Durante o voo servem um suco de abacaxi – não poderia ser mais típico e gostoso pois Moorea tem enormes plantações de abacaxis.

O aeroporto de Bora Bora fica numa ilhota, onde todos os hoteis fazem o receptivo para, de barco levar seus hospedes. Como parte do ritual de chegada, cada hotel oferece um colar, com seu design próprio, de flores, búzios e conchas. Do Hotel Le Meridien, onde nos hospedamos, ganhamos coloares de gardênias intercaladas com uma flor feita de palha de coqueiro, ainda verde. Seguimos para o hotel na mesma beleza anterior do mar de Moorea, água limpíssima e de um tom verde a azul claro, numa enorme transparência.

Onde ficar: Passamos primeiro pelos bangalôs

Bangalo Hotel Four Season

do Hotel Four Seasons, pelo Saint Regis, ambos têm bangalôs com piscinas – um luxo só!! Logo em seguida, vem o hotel em que ficamos – Lê Meridien, que tem um pórtico interessante, parecendo um ovo sobre o outro.

Portico do Le Meridiem e SUP - Bora Bora

Atracamos num píer e fomos guiados por uma senhora com vestido típico polinésio – cheio de flores estilizadas da Gardênia, flor original da ilha, que nos levou à recepção. Lá, fomos atendidos por Clara, uma jovem e simpática espanhola, que já passou um ano no Brasil e conhece nosso pais bem melhor que muitos compatriotas, por isso fala um ótimo português. Clara, dirigindo um carrinho de golf, nos levou até nosso bangalô onde já estavam as malas – um profissionalismo e organização invejável!!!!

O bangalô é estupendo, vejas a primeira imagem deste post. Ao abrir a porta somos surpreendidos com o chão do centro do bangalô todo de vidro permitindo ver a vida marinha; cama king com dossel; banheiro com pias duplas e uma ducha de fazer inveja à minha casa – luxo, bom gosto e uma vista indiscritível!!!!! À frente de nossa varanda o Monte Otemanu, à direita, a parte central da ilha Motu Tape, ilha principal, onde fica a cidade, à esquerda a praia privada e o hotel.

O que fazer: Além de curtir o bangalô, ficar na praia, sob a sombra dos coqueiros, é delicioso.

Sombra e agua fresca - Bora Bora

O serviço de praia oferece gratuitamente, caiaque, snorkling, stand up paddle, canoa Polinésia, passeio num barco a vela, por 30 minutos ao dia.

Canoa Polinesia

Para os que gostam de mais adrenalina, podem optar, pagando, pelo jet ski.

Passeio de caiaque - Bora Bora

Pelo menos duas vezes por semana são apresentados shows de danças típicas, gratuitamente, geralmente após o jantar. Algumas manhãs, durante o café, tem músicos típicos dançando e cantando. Se você tiver sorte como tivemos, poderá presenciar uma cerimônia de casamento Polinésio.

Nós participamos de dois casamentos, um realizado na praia e outro na capela – uma atração à parte, onde todos os hóspedes passam a ser os convidados dos noivos.

Batendo a inspiração, marque o seu casamento lá, a um preço módico, pode imaginar né.

Após a cerimônia, os noivos são levados para uma volta de barco pela lagoa, comemorando com champanhe e terão, em seu bangalô, um jantar romântico. Este jantar eu sou testemunha que é maravilhoso, recebi um em Moorea em comemoração ao meu aniversario, inesquecível!!!!!

image

Casamento em Bora Bora

Casamento em Bora Bora

Todos os dias, as 10h, você pode participar da alimentação das tartarugas, o hotel tem um programa de preservação desta espécie, recebendo animais feridos, trazidos pelos pescadores, reabilitando-os e devolvendo-os ao mar.

Em seguida pode participar de uma aula sobre o projeto e a vida marinha na ilha, muito interessante, vale a pena.

Conhecendo a ilha: O hotel oferece vários passeios, um que não deve deixar de fazer é ir à vila – Motu Tape, centro da cidade (5000 CPF = 42 euros para dois), pequenino mas poderá encontrar algumas lojas com produtos típicos, artesanato, um mercadinho que sugiro, faça comprinhas estratégicas para levar ao seu bangalô.

Aproveite para visitar as lojas de pérolas negras, típicas da Polinésia, não deixe de comprar alguma peça pois vai se arrepender, é caro mas só vai encontrar por lá e são lindas. Se for a Rangiroa, deixe para comprar lá, pois é onde fazem a criação e o preço é melhor.

Se quiser fazer mergulho, reserve no Brasil, pois corre o risco de não conseguir vaga, se deixar para marcar lá.

Escolha a cada dia um lugar para ver o por do sol: do chalé, se pegar o 236, onde ficamos, ou do mesmo lado, poderá ver o sol se pondo por sobre o Otemanu.

Por do sol - Bora bora

Da praia, do bar,… qualquer lugar será maravilhoso, pois a beleza do reflexo dos raios alaranjados sobre o mar azulado é incomparável e não se consegue retratar nas 1001 fotografias que certamente você vai tirar.

Vista ao tomar café da manhã

Dicas: café da manhã custa 8.200 CFP = 69 euros para dois, assim, sugiro que faça reserva com café da manhã, sai mais barato. Não tem restaurantes perto do hotel, assim, na sua reserva, uma sugestão é optar por meia pensão, mas pode também desfrutar dos diversos restaurantes que o hotel possui.

No mais: sol, sombra e água morna!!!!! Enjoy………

 

 

 

Anúncios