Tags

, , , , ,

Viajar pela Air France

Aproveitando a Copa do Mundo da FIFA, 2014, http://pt.fifa.com, no Brasil, e seus 80 anos, a Air France começou a operar, em 31 de março, vôo direto, Brasília à Paris.

Tive o privilégio de, no mês de junho, experimentar esta prática opção, para, não somente ver e rever a belíssima cidade luz, como a partir daí, alcançar outros destinos na Europa.

Resolvi escrever este post, pois foi uma experiência tão agradável e prática que achei interessante compartilhar. Pontualidade foi um dos quesitos importantes, o vôo saiu praticamente no horário previsto e, na volta, chegou 20 minutos antes.

A aeronave estava lotada tanto na ida como na volta, ressalto que na ida com muitos brasileiros, mas na volta, éramos no máximo 30, evidenciando que o europeu e também o asiático (tinham vários) estão aproveitando esta nova opção.

Assim como a Air France está fazendo promoções para passagens, a partir do Brasil, acredito que, aproveitando o período de férias europeu que começou em 21 de junho, está fazendo o mesmo por lá.

A empresa oferece três vôos semanais, segundas, quartas e sextas-feiras, em um Boeing 777-200, com capacidade para 309 passageiros. Mesmo na classe econômica, em um vôo de quase 11 horas, a viagem é muito comportável. As poltronas oferecem um bom espaço e boa área de circulação.

As refeições, hummm, me lembraram os bons tempos de VARIG, uma delícia, no estilo francês, com bons paēs, queijinhos, champanhe e vinho.

Menu - Air France  Paris - Brasília

Menu – Air France Paris – Brasília

Bebidas disponíveis - gratuitas - durante o vôo

Bebidas disponíveis – gratuitas – durante o vôo

Na ida, o vôo é noturno, já na volta, como a diferença de horário lá são cinco horas a mais que Brasilia, o voo é todo diurno. Minha estratégia foi não dormir, pois a chegada é as 19h25, assim, fica mais fácil para dormir no horário brasileiro e iniciar a adequação do jet leg.

Oferecem uma boa quantidade de filmes, além de nos demais idiomas (francês, inglês, alguns em alemão, japonês e espanhol) também em português, assim, se quiser só relaxar, tem mais esta opção confortável.

O atendimento é excelente, com comissários falando português e, no vôo de volta mais cinco outras línguas, todos muito simpáticos e atenciosos.

Durante o vôo aconteceram dois jogos, França e Alemanha e foram muito gentis na comunicação da vitória da segunda. Já quase na hora da chegada, o NOSSO jogo, Brasil e Colômbia. A cada gol do Brasil, éramos informados pelo comandante e o avião se transformava na alegria do estádio. Os comissários aderiram, um deles saiu correndo pelos corredores com a bandeira brasileira e outra, assumiu a bandeira brasileira como chapéu.

Comissária da Air France - comemorando o gol Brasil x Colômbia

Comissária da Air France – comemorando o gol Brasil x Colômbia

Na chegada, a grande vantagem – já estar em casa, não precisar fazer novos vôos, enfrentar ou correria ou horas de espera!!! Desvantagem – o Duty Free de Brasília é minúsculo, quase não tem nada e sobretudo, não tem MAC.

Destaque para a logística brasileira, rápido desembarque e entrega de malas, mas o que me envergonhou foi a primeira impressão que todos aqueles estrangeiros que haviam embarcado no maravilhoso Charles De Gaule tiveram – um aeroporto improvisado e inacabado. Faltando sinalização e, as existentes, somente em português. O teto, todo a terminar.

Teto do aeroporto de Brasilia - desembarque internacional

Teto do aeroporto de Brasilia – desembarque internacional

Que pena, continuamos reforçando a frase do De Gaule – este país não é sério!!

Anúncios