Tags

, , , , ,

DUBROVNIK – um dos paraísos da Croácia

HISTÓRIA, COMO CHEGAR, ONDE FICAR E ONDE COMER 

image

Panorâmica da cidade de Dubrovnik

Visitar Dubrovnik foi parte de nossa viagem iniciada em agosto de 2015, pela Croácia, Montenegro, Bósnia e Hungria, uma linda e agradável aventura, veja nosso roteiro aqui  e ainda, para saber, com detalhes, como conhecer a cidade e descobrir suas maravilhosas atrações veja esse post.

Tudo que li antes da viagem relatava a beleza da cidade de Dubrovnik e realmente constatei que vale muito a pena visita-la, história, monumentos da era medieval, gastronomia e uma beleza natural de tal tamanho que, com justiça, lhe dão o nome de Pérola do Adriático ou ainda, Atenas eslava.
Localizada ao sul da Dalmácia, na pontinha sul do C, formato do mapa da Croácia, está à beira do Mar Adriático. Possui em torno de 45.000 habitantes, 90% católicos, com 27 igrejas na cidade e somente uma ortodoxa.

image

Fonte: Wikipedia

Suas principais atrações turísticas localizam-se dentro da Cidade Velha (Old City) fundada no século VII, a partir da chegada dos gregos à ilha de Cavtat, na época chamada de Epidauro. Embora tenha sofrido um forte terremoto em 1667 que matou mais de 5 mil habitantes e várias guerras, sobretudo a que ocorreu no período de 1991 a 1995, com a Sérvia e Montenegro, quando mais de 2 mil bombas foram jogadas sobre a cidade, está bem conservada.

É cercada por uma enorme muralha de quase 2 km que protegeu a cidade impedindo que, por todo esse tempo, mesmo passando por batalhas sangrentas, não fossem invadidos. O passeio pelas muralhas é uma das imperdíveis atrações, pois está ainda muito conservada e permite ter uma linda vista da cidade e do mar.

Também dentro da cidade velha está o antigo Porto que concorria comercialmente com Veneza, e ainda hoje dá mais beleza ao local. No porto estão ótimas alternativas para fazer refeições ou bebericar, pois tem muitos restaurantes de frente para o mar.

Claro que um lugar inusitado como esse precisaria ser reconhecido e, em 1979, toda a cidade murada foi denominada, muito merecidamente, como Patrimônio Mundial pela UNESCO o que por si só já é uma boa razão para conhecê-la.

image

Muralhas em torno da cidade velha e antigo Porto – beleza contrastando com o Adriatico

Existem dois portões de entrada na cidade velha, um em cada extremo da rua principal Stradun e ambos possuem uma estátua de São Brás, padroeiro da cidade.
O Portão Pile, principal, é a entrada ocidental, foi construída no século XV , possui dois arcos góticos e uma ponte que desembocava numa ponte levadiça de madeira, ao estilo medieval, que era levantada todas as noites para que estranhos e rebeldes não entrassem na cidade.
O Portão Ploce está na entrada oriental. Também possui uma ponte levadiça de madeira e uma ponte de pedra, assim como o portão Pile. Foram construídos no século XV , já o exterior do portão data do século XVII. Em ambos os portões está uma escultultura de São Brás.

 

image

Portão Ploce, estátua de São Brás

COMO TRANSITAR E COMPRAR

Para conhecer a cidade o melhor é a pé, até porque dentro da cidade velha não entra carro e andar pelas ruelas é descobrir, a cada momento, um novo monumento, uma feira, um restaurante, um café, você vai ver… Mas prepare-se para andar, subir e descer, a cidade tem 5.428 degraus a percorrer, mas lhe asseguro que vale a pena!!!
Uma boa opção também é comprar o Dubrovnik Card, para 1, 3 ou 7 dias, combinando entradas em instituições culturais e transporte público, e ainda, entrada free em vários locais. Você pode obtê-los nos pontos de informação turística, um deles, fica bem na entrada do Portão de Pile.
Como já nos referimos nos demais posts sobre a Croácia, a moeda local é o Kuna – kn (1,00 € = 7,3 a 7,5 Kn).

image

COMO CHEGAR
Existem diferentes formas de fazer a viagem pela Croácia, do sul para o norte, chegando de navio ou de avião por Dubrovnik e subindo pelo país e seus arredores ou, vindo do norte para o sul, como fizemos, de avião direto Brasília à Lisboa, daí até Budapeste e de carro, entrando por Zagreb, a capital do país, descendo até Dubrovnik. Mas ainda é possível ir até Roma e de avião ir direto à Dubrovnik ou ainda, de Veneza, ir de navio até Dubrovnik.

Continuamos nossa viagem, de carro, reservado no Brasil e retirado em Budapeste/Hungria, sempre guiados pelo nosso GPS, atualizado ainda no Brasil. Saímos de Split às 12h, com um dia nublado, pela A1, não pela estrada que beira o mar, são por volta de 228 km..

Após 18 km chegamos ao pedágio e vale lembrar que sempre funciona da mesma forma, quando você sai da cidade chega ao pedágio, provavelmente não encontre ninguém, pressione o botão e pegue o ticket, pagando-o no pedágio, ao entrar na cidade de destino.

No trajeto existem poucos postos de gasolina, então garanta que seu carro tenha combustível suficiente para o percurso, são cerca de 220 km, mas leve em consideração eventual aumento do trecho, como nos aconteceu.

Após cerca de 83 km rodados, chegamos a um pedágio que indicava várias cidades mas não tinha nenhuma sinalização para Dubrovnik. Perguntamos no pedágio e a indicação foi retornar e seguir em frente. O GPS ficou louco e só queria nos mandar de novo para a pista anterior. Continuamos, logo chegamos a outro pedágio (48 Kunas) e perguntamos se a estrada era nova. CONFIRMADO, era uma nova estrada que ainda não constava no GPS, que nos levou à cidadezinha de Ploce, cheia de lagos, muito lindinha. Logo em seguida o GPS recuperou a rota e seguimos tranquilos, agora pela estrada litorânea que foi a melhor opção pois é muito boa e você vai admirando a beleza do mar, cidade a cidade..

Para ter uma ideia da bela paisagem do caminho, passamos por Slivno, tendo ao fundo uma cordilheira muito alta e no vale, uma área imensa plantada. Margeando o mar, a cidade desponta linda, com casas brancas decorando os montes. No mar alguns barcos e kite surf aproveitando da natureza bela. Era a cidade de Klek, região que dá vontade de parar para passar pelo menos um dia, ainda à beira da estrada, algumas pousadas com varandas voltadas para o mar, mostrando que vale a pena ficar aí.

image

Paisagens de Slivno e klek

Continuamos admirando a paisagem até vermos a sinalização para Neum que pertence à Bósnia Herzegovina, ponto de parada obrigatória para imigração, mas foi muito simples, só mostramos o passaporte e fomos liberados. O país que está no interior, depois da guerra da Sérvia com a Croácia, história detalhada neste post, recebeu da Croácia este pedacinho de terra junto ao mar para que não ficasse isolada das facilidades marítimas.

Entramos na cidade, que é uma gracinha, bem típica de praia – um balneário, com construções que partem também das margens para cima das montanhas.
Destaca-se ainda ao longe a imponente igreja e grandes hotéis. Como em toda a Croácia, ali também a praia é de pedrinha e estava lotada de visitantes divertindo-se no mar de uma água muito transparente, como é típico do Adriático. Como a área de pedra é pequena, as pessoas estendem suas tolhas onde dá, vale até no cimento.

image

A cidade de Neum, na Bósnia Herzegovina

Fomos direto ao final da praia, procurando entre muitos restaurantes, um lugar para nos refrescarmos com alguma bebida. Escolhemos o Venezia Grill e Slasticarna e a primeira surpresa foi que ninguém falava inglês e, pior, não aceitavam Kuna e nem euros, a moeda era a da Bósnia, o marco (Km). Limitamo-nos a uma cervejinha (de 2,50 a 5,00 Km, Marco Bosníaco), escolhemos a Lasko, eslovena pois não tinham nenhuma da Bósnia. Foi um pit stop que valeu, o visual é ótimo. Dali demos uma volta pela cidade e fomos conhecer a igreja. Retornamos à estrada pois tínhamos compromisso as 18h em Dubrovnik, muito rapidamente saímos do território Bósnio e retornamos à Croácia.

image

UM dos restaurantes do balneário de Neum, ao fundo praia, mar e turistas

image

Igreja de Neum – litoral da Bósnia Herzegovina

Se você tiver tempo, pare e visite as cidades de Ston e Mali Ston que ficam muito próximas a Dubrovnik, cerca de 20 km e vale a parada. Nós não paramos porque tínhamos um tour agendado para as 18h com  Natasha do Dubrovnik em Português para uma visita guiada pela cidade, super recomendo. Mas, visitamos Ston e Mali Ston quando fomos para Montenegro.

Ao aproximar de Dubrovnik a paisagem é linda, uma ponte enorme, muitos navios, a beleza encantadora das águas e montanhas, do novo porto.
Chegamos na cidade por volta da 17h e fomos diretamente ao Apartment para deixarmos as bagagens porque tínhamos um encontro com Natasa que nos conduziria ao nosso primeiro passeio pela cidade, que ansiedade!!!

image.jpeg

Enegrada na cidade de Dubrovnik, contruçoes da cidade nova e o novo porto

ONDE FICAR
Opções de hospedagem não faltam, do mais alto nível aos mais econômicos.
Usei o Booking para reservar a hospedagem, mas fiquei com muita dúvida se optava por apartamentos dentro da cidade velha ou fora. Fui informada que para acessar muitos apartamentos na cidade velha você tem que subir a pé, escadas e mais escadas, assim para não arriscar decidimos por ficarmos fora da cidade velha. Foi excelente nossa opção pelo Apartment Leoni, não nos arrependemos, pois o local é bem estratégico.
Apartment Villa Leoni: localizado na rua Petra Kresimira IV, 24. No Booking está anunciado como Old Town View Apartments. Este apartamento está muito bem localizado, fica fora da Old City, a 400 m do ponto do teleférico, à cinco minutos (100 m) da principal praia – Banje, à 15 minutos da Praça Pile onde está a porta Pile, principal entrada para a Old City. É um excelente apartamento, espaçoso, sala de TV e jantar conjugada, quarto bom, guarda roupa amplo, com a verdadeira cama Queen Size, pois na grande maioria dos hotéis e apartments hoje, são duas camas de solteiro, unidas, sempre menos confortável. O banheiro é moderno, com nichos para os utensílios de toalete (coisa rara), varanda ampla com uma vista parcial da Old City, uma pequena cozinha, microondas, com cafeteira, chaleira elétrica, geladeira e fogão duas bocas, utensílios para 3 pessoas. Possui estacionamento gratuito e, para chegar ao apartamento, são uns 25 degraus. Tivemos um único problema, não conseguimos acesso à internet nenhum dia. Leoni, o proprietário, é muito gentil, nos recebeu com uma cesta de frutas e água. Informou-nos sobre os pontos de interesse e localização de padaria e mercado próximos. Super recomendo!!!
Para acessar a cidade velha, pode descer até a praça Pile, onde está o portão da muralha, de mesmo nome ou subir, pelo lado contrário, um pouco mais, a rua Petra Kresimira e descer até o portão Ploce, que é a forma mais curta de alcançar a cidade, a volta é que é um pouquinho ruim pois tem degraus para subir.

image

Villa Leone, o cuidado nos detalhes

image

VIsta a partir da varanda do Apartment Leoni

Visitei o Hotel The Pucic Palace, localizado num prédio barroco do século XVII, fica dentro das muralhas e localizado na praça central chamada de Gundulic Square, onde acontece diariamente o mercado. É um hotel boutique, cinco estrelas e, portanto, paga-se o preço pelo luxo. Possui três restaurantes, o Define, com comida croata e peixes frescos, o Razonoda Wine Bar, onde poderá degustar vinhos e deliciosas tapas croatas, e o Café Royal, que fica no térreo, aberto para a praça e também, mesinhas na praça, vale sentar e tomar um café, “vendo a banda passar”.
O ambiente do hotel é lindo, todos são muito simpáticos, mesmo não estando hospedada nos permitiram visitar todo o hotel. São somente 17 apartamentos de luxo e duas suites, todos de muito bom gosto e modernos. Possuem um terraço aberto onde estão lindas mesinhas arrumadas com todo o requinte. Embalados por um grupo de músicos, as pessoas jantavam aproveitando o pôr do sol. Super recomendo que mesmo não se hospedando lá, reserve para almoçar ou jantar. Adorei o ambiente.

image

Hotel  Pucic, Praça Gundulic Foto: folder do hotel

Hilton Imperial Dubrovnik Embora fique fora das muralhas, está muito próximo da Praça Pile e do portão principal (Pile) de entrada na cidade velha. É um grande hotel cinco estrelas e também fica perto do Forte Lovrijenac.

image

Hilton Imperial Dubrovnik

Também visitei o Miro Studio ApartmensHouse Pile house.pile@gmail.com +38520313848, +385994911149, que fica dentro da muralha mas que não precisa subir muitos degraus e fica bem localizado. As instalações parecem muito boas.

Li em alguns blogs a recomendação do Karmen Apartments, uma casa familiar medieval com aluguel de quatro quartos, muito bem mobilados e com muito conforto. Localizado dentro da muralha e bem perto do porto, um ótimo lugar para ficar, mas infelizmente não consegui vaga para a época.

ONDE COMER
Restaurante Panorama, degustamos um delicioso vinho branco croata enquanto observávamos, inebriados, a paisagem lá embaixo, da cidade velha, da ilha de Locrum e a maravilhosa tonalidade de azul do mar Adriático. É um lugar que vale ficar para almoçar, mas sempre está muito cheio, assim, para que consiga lugar com boa vista, preferencialmente na parte externa faça reserva pelos telefones +385 (0)20 312664 e +385 (0)91 4860047.

image

Admirando a paisagem da cidade velha, no alto do Monte Sérgio, restaurante Panorama

Restaurante Kopun, localizado no alto da escadaria que sai da Praça Gundulic, à esquerda, tem excelente atendimento e um diversificado menu, incluindo pratos típicos locais, experimente os frutos do mar: Adriatic scampi (135 kn) e Seafood Brodet (129 kn), ou ainda carne: os pratos históricos do restaurante, Capon in porcini mushroom sauce (149 kn), receita do século XIX e o Dubrovnik Capon (135 kn), receita do século XVI.

Restaurante Proto, especializado em frutos do mar, mas tem outras opções também. É um dos mais antigos da cidade, aberto em 1886. Está localizado na esquina da rua Siroka com Vara. Concilia a boa comida com a paisagem das ruas movimentadas da cidade velha. Não visitei esse restaurante por falta de tempo, mas foi bem recomendado. No entanto, sua referência é de excelente comida mas um pouquinho mais caro que os demais, assim prepare o bolso.

Barba Street Food, com significado em Dalmácio, de homem do mar, serve frutos do mar, em mesinhas simples e coletivas. Localizada na ruela Boskoviceva 5, na entrada do meio. Provamos ostras a 12 kn por unidade, serve ainda sanduiches, saladas, peixes fritos, hamburgers, tudo de frutos do mar. Para um lanche rápido é uma boa pedida.

image

Tava tão bom que só me lembrei de fotografar quando estava acabando, rsrsrs

Restaurante Orhan, fica numa excelente localização, Od Tabakarije 1, +385 (0) 20 411-918, cel. +385 (0)91 725-5109, dominik.kuzman@du.hinet.hr com uma maravilhosa vista para o mar e as ondas batendo nas pedrinhas, chegando ao muro do restaurante, ótimo lugar para parar depois de visitar o Forte Lovrijenac pois está no caminho de volta. Do extenso e apetitoso cardápio, com opções de frutos do mar, carnes e massas, saboreamos um delicioso escargot (105 kn), apreciando os aventureiros dando volta na ilha, de caiaque, uma delícia, não deixe de visitar esse lugar!!

image

Restaurante Lokanda Peskarija +385 (0) 20 324 750, localizado no porto antigo, mesas internas e, externas de frente para o mar, ótimo local para fim de tarde, muito movimentado, boa comida e bom atendimento, preços mais baratos. Cardápio com risoto de frutos do mar, lula grelhada, salada de lula.

image

Restauraste Lokanda, mesas nos arcos ao fundo, paisagem do Porto

Restaurante Storia, fica na rua Kneza Damjana Jude, 6, um pouquinho antes do prédio do Forte de São João, o Aquário e do Museu Marítimo. É um restaurante de massas e o aroma que impregna a rua lhe obrigará a sentar e degustar de suas delícias. Experimente a pasta com frutos do mar.

image

Mala Buza Bar: localizado na rua Pera Cingrije, 2, o acesso é por trás do restaurante Kopun, visita imperdível porque associa uma boa bebida, com um ambiente bem transado e romântico, de frente para o mar, ambiente excelente para ver o pôr-do-sol e de quebra, só apreciar ou participar da atração do pulo, lá do alto das pedras, no mar, onde fica a praia de Buza. Se pretender saltar no mar, não esqueça de ir de traje de banho por baixo.

image

Mala Buza bar, só bebidas, mas uma vista tremenda e diversão vendo os saltos no mar

Dubravka Restaurant Café, perto da praça Pile, de frente para o mar, onde tomamos café da manhã, vista linda!!!

image

Veja quarta foto, no toldo branco fica o restaurante, ponto estratégico, lado esquerdo Forte Bokar, na muralha e à direita, Forte Lovrijenac

SesameTavern  Fica na rua Don Frana Bulica, 7. Não comi lá, mas o environment é tão acolhedor que acredito que valha a pena, tem um espaço externo sob árvores frondosas que convida a ficar e relaxar. e você puder testar, depois deixa seu comentário a respeito.

image

Restaurante Sesame, ambiente interno e externo muito aconchegante

Art Café Bar, na rua Frana Bulica, 1, com uma decoração muito alegre, descontraída e original, usando como cadeiras e sofás, antigas banheiras coloridas.

image

Art Café Bar, decoração alegre e espirituosa

Sorvete Ledo, croata, fica no porto antigo, ao lado do restaurante Lokanda, indicado por nossa guia Natasa como o melhor sorvete da cidade e nós aprovamos.

image

Vinhos
Branco: Casa Posip;
tinto seco: Postup, 2007, Plavac Mali (64 kn no mercado); Dingac (32kn); Babić (25kn)
Cervejas
Karlovacko (20 a 30 kn), a mais famosa e mais gostosa;
Tomaslav 50 ml (35 kn);
Ozujsko (35 kn)

image

Trufas e Azeites Trufados
Não tem como ir à Croácia e não experimentar pratos preparados com trufas ou pelo menos com o azeite trufado. Essa rara especiaria de origem italiana e carisma tanto lá como na refinada gastronomia francesa pode ser provada na Croácia por um preço muito mais justo.
Como você deve saber, as trufas, brancas e negras são um tipo de cogumelos muito raros que não podem ser cultivados e são fruto da natureza. Para descobri-los é preciso do auxílio de cães farejadores treinados e por tudo isso o preço é caríssimo. Mas a região da Ístria, na Croácia também recebeu o privilégio da natureza de possuir essa riqueza gastronômica. E, uma boa notícia, o preço croata é muito melhor. Então, se você aprecia o aroma e o sabor das trufas, não vai deixar de comprar.
Devo dizer que os melhores preços que encontrei foi em Zagreb, mas se não passar por lá compre em Split ou Dubrovnik, mesmo um pouquinho mais caro. Azeite 250 ml (Zagreb 145 kn; Split 160 kn; Dubrovnik 205 kn); Trufas 25g (Zagreb 160 kn; Split/Dubrovnik 170 kn).
Há e vai aí uma dica preciosa para que não aconteça o mesmo que ocorreu comigo, quando chegar em casa, observe bem se o selo de lacre do frasco das trufas, se rompeu, pois neste caso precisa coloca-lo na geladeira, do contrário quando for ver estará todo estragado e você vai ficar com muita raiva!!!!
Em Dubrovnik recomendo comprar na UJE, Ulica Od Puca, 2. Que além dos produtos trufados e as próprias trufas, tem mais inúmeros produtos do país.

image

Dubrovnik é realmente uma cidade para se visitar antes de morrer, a cidade velha, no estilo medieval, guarda inúmeros surpresas, você encontra boa música em muitos bares e restaurantes, a gastronomia esbanja sabores e pratos típicos tanto de frutos do mar como de carnes, a praia com água deliciosamente quente e de um mar transparente. Eu fiquei somente três dias, mas sugiro, se puder, ficar mais tempo, tem muitos passeios próximos, várias ilhas e muita coisa na cidade para fazer.

Para conhecer as atrações da cidade clique aqui. ENJOY!!!!

Se você se sentir estimulado(a) em conhecer a Pérola do Adriático, deixe seu comentário aqui, dividindo comigo  o que mais lhe ajudou neste post.

Deixo essa imagem belíssima para ficar gravada na sua memória, assim como está na minha.

image

 

 

Anúncios