Tags

, , , , , , , , , ,

MONTE VERDE, charmosa e bucólica

image

Vista das montanhas

Monte Verde é um lugar ainda pouco divulgado, parte da Serra da Mantiqueira, compõe o Circuito das Serras Verdes (Monte Verde, Gonçalves e Extrema), localizada no sul de Minas Gerais, distrito da cidade de Camanducaia.

Digo para você, vale, mas vale muito a pena visitá-la. Para mim, ainda falta Extrema e está na lista!!!

Pequenina e de um charme sem igual, possui uma rede hoteleira de cidade grande, que agrada a todos os gostos e bolsos.

image

A cada esquina, placas de hotéis e pousadas

 

image

Hoteis e pousadas não faltam na cidade

Por estar entre montanhas e no alto, para onde você olha, a paisagem é maravilhosa, parecendo uma linda pintura de diferentes matizes do verde, forrada de pinos e de belíssimas araucárias, quase extinta em nosso país. Você está no meio da floresta, é inacreditável que a apenas 163 km de Guarulhos você possa estar num ambiente tão natural e preservado, ar puro, pássaros cantando, pouquíssimo trânsito, nada de buzina, muita simpatia e gentileza mineira e muita paz.

image

Na estrada, chegando a Monte Verde, floresta de pinus

Praticamente o ano todo a temperatura local é baixa, chegando, nos meses de maio e junho, a valores negativos, tendo ido já, a menos 13 graus. Esse clima europeu cria um ambiente aconchegante e muito romântico, oportunizando a degustação de pratos como fondue, raclete, salchichas alemãs, chocolate quente, mas daqueles cremosos hummmm, trutas, um bom vinho, lareira, dormir com “acolchoado de plumas” e muito mais, tudo de bom….

COMO CHEGAR
De ônibus, no terminal Rodoviário Tietê, a Viação Cambuí (11) 2221 4165 faz o percurso, saindo diariamente, das 7:30 até o último, as 18h, indo até Camanducaia e Monte Verde.

De avião, partindo de cidades mais distantes, voe até o aeroporto de Guarulhos e de lá, a melhor forma é alugar um carro e dirigir até a cidade.

De carro, a partir de São Paulo e Guarulhos, pegue a Fernão Dias e a MG 381, vá em direção à Camanducaia, transitando por uma estrada muito bem sinalizada, de pista dupla. No caminho haverá dois pedágios (R$ 1,80 cada).

No caminho, quase chegando a Camanducaia, uma ponte havia sido destruída pelas águas da chuva e, próximo, foi construída uma ponte provisória, com passagem para somente um carro, o trator ainda estava acabando o serviço, mas não tivemos problema, pelo contrário, ao parar fiz um clique das montanhas, lindíssimo!!!

image

As duas cabeceiras da ponte desbarrancarram

image

Clique das montanhas, mais parece uma pintura

Chegando a Camanducaia, vira à direita, encontrará a linda capelinha Igreja de Nossa Senhora, vire à esquerda nessa rua e siga em frente, atravessará a cidade e pegará, também à direita,  a estrada de mão dupla que leva à Monte Verde.

Se tiver interesse, aproveite em Camanducaia para conhecer a Paróquia Imaculada Conceição, que fica bem próximo à rua que dá acesso à estrada para Monte Verde.

Monte Verde lhe recebe com um portal que abre os braços para a rua principal da cidade, de mesmo nome, onde estão lojinhas e restaurantes.

image

Igreja Imaculada Conceição – Camanducaia

image

Igreja  de Nossa Senhora, na entrada de Camanducaia

image

Portal – entrada de Monte Verde, avenida de mesmo nome

Distâncias:

Campinas – 159 km; São Paulo – 164km; São José dos Campos – 191 km; Rio de Janeiro – 461 km; Belo Horizonte – 480 km.
ONDE FICAR
Se existe uma cidade que tem mil e uma opções de hospedagem é Monte Verde, nunca vi tantas placas de pousadas e hotéis. Assim, basta pesquisar o que mais lhe agradar. Vou comentar aqui, os que conheci.

Hotel Cabeça de Boi, fundado em 1962 com a intenção de ser uma colônia de férias para jovens alemãs, mas rapidamente seu proprietário percebeu a oportunidade turística e o transformou no primeiro hotel da cidade. Essa é uma opção para quem gosta de hospedagens mais clássicas, um hotel grande, com imensa piscina, muita gente, conforto, sobretudo para famílias com crianças, pois oferece uma boa infraestrutura e muitas atividades para os pequenos. As atrações são piscina aquecida e coberta, boliche, pedalinho, passeios de quadriciclos, patinação, um trenzinho que faz o circuito turístico da cidade, cachoeiras e picos e ainda, arvorismo e paintball.

image

Porta de entrada e trenzinho do Hotel Cabeça de Boi

Pousada Provence Cottage & Bistrô, com cinco anos de funcionamento é o paraíso para casais ou para quem quer descansar, recebe pessoas acima de dezoito anos, em chalés duplos, podendo, a combinar, hospedar até três, muito aconchegantes e confortáveis, decorados com um toque retrô composto por peças delicadas de antiquários. Todos os seis chalés têm Jacuzzi, lareira, varanda, camas queen com roupa de cama suave e linda,  edredons e travesseiros de plumas, uma maciez de você não  querer sair da cama, kkkk.

O chalé Cassis, que fica mais no alto da pousada e mais afastado, tem ainda um ofurô na varanda, Sabe o que é um banho de espuma, numa água bem quentinha, ao ar livre, quanto a temperatura externa está uns 11 graus, olhando para a floresta de araucárias?! Pois é demais!!!

image

Casa principal da pousada, onde funciona a cozinha gourme, o bistrô e a recepção

image

Detalhes da casa principal da pousada

image

Salinha com lareira e TV, porta para uma das varandas do chalé

image

Lateira, super agradável, ler aos pés da lareira.

image

O cantinho da cama, com uma TV e DVD em frente

image

Jacuzzi com vista para a varanda e floresta

image

Chalé Cassis, ofurô na varanda

image

Os chalés, arquitetura bem europeia

image

A área da pousada ao redor dos chalés

A primeira peculiaridade é o café da manhã, servido das 9 às 11:30h, que coisa boa, você pode levantar quando seu olho abrir, nada de despertador. Preparado sob a batuta do Chef Ari Kespers, é um verdadeiro brunch. Inicia com frutas da estação, acompanhado de um frapê e suco de laranja. Depois vem o iogurte preparado na pousada, com cereais ricos em sementes e frutas secas e o pão de queijo, uma delicia!!!. Você pensa que acabou, não mesmo, chega os ovos mexidos, dentro de uma linda panelinha vermelha e a cesta de pães caseiros, com destaque para o integral cravado de castanhas, amei, todos quentinhos que você pode saborear com manteiga, requeijão e geleias feitas também na pousada, além de frios diversos e mel. Para encerrar, sempre um bolo caseiro diferente. Tudo maravilhosamente fresco e saboroso, você fica salivando pelo café do dia seguinte. Inicia-se o dia tomando esse maravilho breakfast numa mesinha antiga, rodeada de peças lindas e uma vista encantadora da natureza, pra que mais?!!!

image

Delícita de café da manhã

image

Muitas guloseimas feitas na própria pousada

Diariamente, entre 17:30 e 18:30h é servido o chá da tarde, mas não é um chazinho qualquer não, é uma outra refeição, sempre com surpresas saborosas feitas na cozinha do Ari, como quiches, empadas, panquecas, rocamboles, pães de queijo, biscoitos de nata e até pinhão cozido, que diga-se de passagem, estava tão bom como nunca tinha comido, quentinho, macio, saboroso e descascado!!!! Que moleza heimmmm. Você pode pedir para servir esse “chá” no chalé (R$ 6,00), e saboreá-lo no aconchego do seu sofazinho privê, ou mesmo, tomando seu banho na Jacuzzi, que tal heimmm, você merece esse mimo não?! À noite, se você ainda aguentar comer e não for jantar na cidade, sob reserva, ainda servem caldos deliciosos.

image

Chá da tarde – no chalé

A pousada possui Spa com ofurô, massagens diversas e escalda pés. Tem ainda um enorme Ofurô, num gazebo ao ar livre, com confortável espaço para relaxar, tudo sempre com muito mimo, toalhas delicadas, macias e cheirosas, ammenities da L’Occitane, fundo musical com repertório maravilhoso e relaxante, simpatia e profissionalismo no atendimento por todos os funcionários e muito carinho e simpatia dos proprietários Ari Kespers e Withman Colerato.

E, novamente inusitado, na saída de cada casal, um dos dois proprietários presenteia com duas garrafas de água para a viagem e uma caixinha de chocolates e pães de mel fabricados na própria pousada, tudo de bom, você sai com uma saudadezinha e vai compensando, comendo, pelo caminho, essas guloseimas deliciosas e planejando a volta.

image

Spa, decorado com muito bom gosto, ao fundo o ofurô, tem escalda-pés, com vista para um jardim.

 

image

Gazebo com ofurô, super aconchegante

image

O ofurô externo, com som ambiente e lareira

image

Horta da Pousada, de onde são tiradas tanto flores e folhagens para os jardins, como temperos para os pratos do Bistrô

image

Pousada Provence Cottage Bistrô – detalhes da decoração

É tudo tão gostoso, saboroso, afetuoso, delicado que você fica pensando em proporcionar uma mesma oportunidade de experimentar tudo que vivenciou àqueles que ama!!!!

O QUE FAZER
Considerada a Suíça Brasileira, a cidade é um local para curtir a natureza e paisagem, andar pelas ruelas e admirar as montanhas, a mata, os pássaros, fazer tracking, subir os diversos montes.

Na avenida principal, chamada de Monte Verde, você encontra várias empresas de turismo, como a Ecoturismo, Companhia Passeios de Jeep e a Ecoaventura, que oferecem passeios de quadriciclo e com veículos 4 x 4 para visitar os montes, mas você pode fazer os passeios também by yourself.

Para quem gosta de caminhada e fazer trilha, ir até os picos é uma excelente opção. São cinco deles, quais sejam, Pedra Partida, com 2050 m de altura, Pedra Redonda com 1.990 m, dizem ser a vista mais bonita da cidade, embora tenha alguns trechos bem íngremes, Chapéu do Bispo com 2.030 metros, o Pico do Selado, mais alto, com 2.083m e, o Platô com 2.000m, que na mesma entrada à direita ainda tem o Mirante.

Esses dois últimos,  acessado pela rua da Mantiqueira que é transversal à avenida principal, a Av. Monte Verde, seguindo sempre em frente, ela termina exatamente onde está a entrada para a trilha. Foi essa trilha a que nos aventuramos, uma subida de média dificuldade, bastante íngreme, mas segura. Embora digam que é de trinta minutos, gastamos o dobro. Passa por um rio e alcança um grande platô de pedra que permite avistar dois lados, um deles estava aberto e pudemos contemplar as montanhas ao longo, o outro lado, quando chegamos estava muito nublado e não pudemos avistar o cenário, mesmo assim, gostei muito, valeu a pena.

Na volta, você pode se reidratar no restaurante Café Platô, bar e restaurante e até mesmo degustar um truta, dependendo do horário, mas o melhor é que eles disponibilizam uma bica onde você pode limpar seus pés e sapatos e refrescar-se da subida.

image

Início da trilha para o Platô

image

Panorama a partir do Platô

A Unger’s Pottery House é uma linda galeria, localizada numa ampla casa, no meio da mata, com muita transparência, permite de dentro enxergar o verde externo, abriga obras de Paula Unger, ceramista de São Paulo e outros quarenta artistas que trabalham com ela. A diversidade é imensa, a beleza das peças também, no entanto, o preço achei muito salgado, não deu para comprar nem uma lembrancinha, mas vale pela beleza das formas e cores.

image

Unger’s Pottery House, detalhes do ambiente e peças

Patinação no gelo, Av. Monte Verde, 1463. Essa é mais uma das atrações em Monte Verde, que tal? Numa cidade tão pequenina você encontra um grande ringue de patinação no gelo e tudo muito bem organizado. Para os que dominam o esporte ou para os que querem aventurar na iniciação, por R$ 60,00 ou promocionalmente, exceto temporada, R$40,00 para meia hora, podem se divertir!!!! Não esqueça de levar meia grossa.

image

Uma das delícias da cidade é o strudel ou torta de maçã, doce que eu adoro. É muito interessante porque vários restaurantes e cafés avisam, em placas à frente de seus estabelecimentos, as horas das fornadas, o que lhe permite experimentar em diferentes horas do dia, esse doce saindo do forno, é realmente um bom e saboroso programa.

image

image

Strudel de maçã – doce típico da cidade

Também é típico da cidade e da região, a truta e, portanto, além de degustá-la nos diversos restaurantes da cidade, vale conhecer onde são criadas, o Trutário Paulo da Truta, há uns seis km do centro da cidade, fica dentro da mata, o que dá encantamento para o local e você pode ver os doze tanques de criação do saboroso peixe e ainda, degustar essa especiaria, no seu restaurante da fazenda, que atende até as 18h.

Essa criação de trutas foi iniciada em 1988 e produz hoje, seis toneladas desses peixes, ao ano, atendendo aos seus três restaurantes locais e a um novo, inaugurado em outubro de 2015, na cidade de Gonçalves/MG e, ainda, provendo os demais restaurantes da cidade.

Além da truta, você ainda encontra nesse trutário, logo na entrada, o único alambique de Monte Verde, iniciado pelo próprio Paulo das Trutas, hoje responsabilidade de seu filho, produzindo cerca de 700 garrafas ao ano da cachaça Filho da Truta, a partir de cana de açúcar da região.

image

Trutário do Paulo das Trutas, tanques de criação dos peixes, à direita, o restaurante

image.jpeg

Restaurante Paulo das Trutas, do centro da cidade

image

Alambique – Cachaça Filho da Truta

Outra atração da cidade é a fábrica de produção da cerveja artesanal Fritz, fundada em 1993 pelo mestre cervejeiro Jorg Franz Schwabe, uma das mais antigas do Brasil, hoje com vinte restaurantes alemães, nas cidades de São Paulo, Curitiba e Monte Verde, onde, além de poder degustar os cinco tipos de chopes e cervejas artesanais, ainda degusta comidas típicas alemãs como diferentes salchichas.
A fábrica oferece visitas guiadas duas vezes ao dia, de segunda a sábado, veja a agenda no restaurante que fica na rua Rolinha.

Biscoitos amanteigados, geleias, pão de mel, frutas desidratadas e cristalizadas, conservas, antepastos diversos, queijos diversos, inclusive queijos recheados de outros queijos em creme, trutas naturais e defumadas estão à disposição nas diversas lojinhas da cidade. O Biscoito da Vovó, rua das Rolinhas, 33, loja 5, Galeria Vila Europa, é um dos lugares que vendem essas gostosuras. Outra boa opção para adquirir cachaças mineiras, trutas naturais e defumadas (R$ 50,00 kg), doces, geleias e queijos diversos é no Rancho do Caipira, na rua da Mantiqueira,  muita simpatia e gostosuras.

image

image

Riqueza de diversidade de produtos artesanais na cidade.

E, por último, as compras de roupas de inverno, especialmente de lã, sapatos e botas, artesanatos diversos são outras atrações das diversas lojinhas, sobretudo localizaras na rua Monte Verde.

Andar pelas ruas centrais ou as mais distantes do centro da cidade também é uma delícia de passeio, você descobre construções típicas europeias que encantam o lugar, um bom comércio local, restaurantes diversos,  igrejinhas, tudo leva a você curtir as peculiaridades de Monte Verde.

image

Casinhas típicas compõem shopping local, muito artesanato.

image

Rua e comércio local

image

Aspectos da cidade

image

Igrená Batista de Monte Verde, rua da Mantiqueira

image

Paróquia São Francisco de Assis

ONDE COMER

Bistrô da Pousada Provence Cottage, que oferece nas sextas-feiras e sábados à noite, sob reserva, um menu degustação de seis a oito pratos. O talentoso e simpático Chef Ari Kespers prepara sempre um menu surpresa, combinando a cozinha internacional com produtos regionais da estação e temperos da horta orgânica própria. Se você que passar por uma experiência gastronômica vivenciando odores, crocâncias, texturas e sabores diferentes, não pode perder essa aventura criativa. Eu tive o privilégio de experienciar o seguinte menu: entrada com um lindo e saborosamente inusitado capuccino de cogumelos, composto de fio de canard e tritura de banana, seguido de ravioli de banana da terra, macadâmia e sálvia. Como terceiro prato, foi servido um strudel de bacalhau, com picles de maçã e creme de maçã. Como prato principal, veio o lindo e saboroso prato de tornedor de carne suína, farofa com castanhas brasileiras e molho de tamarindo, acompanhado de legumes assados. Depois desse passeio degustatório, veio a maravilhosa e também inusitada sobremesa, um crocante de pera com sorvete de pera, lindo e de uma crocância fantástica com pedaços de pera crocante feitas no vinho do Porto, outros pedaços, na baunilha e assim, ativando todas as papilas gustativas, encerramos esse passeio do paladar com chocolates e café. Imperdível!!!!!!

image

Capuccino de Cogumelos

image

Raviônica de banana da terra, macadâmia e sálvia

image

Strudel de bacalhau

image

Tornedor de carne suína

image

Deliciosa sobremesa – crocante de pêra com sorvete de pêra

image

Encerou-se o jantar com café, chocolate e doces

Café Platô, bar e restaurante, oferece vários tipos de truta, como a Montanhesa, a Monte Verde I e II (R$35,90), filé mignon grelhado, cafés e repouso após fazer a trilha para a Pedra do Platô.

image

Café Platô – Bar e Restaurante

Casa da Lucia, rua da Mantiqueira 198, um dos lugares para degustar o strudel de maçã, além de sorvetes artesanais.

image

Paulo das Trutas, abriu seu primeiro restaurante em 1990, hoje com dois restaurantes, no centro da cidade de Monte Verde, muito bem decorado e agradável, e outro, onde funciona o trutário, há uns seis km do centro da cidade. Vale provar essa iguaria. Recomendo a Truta no Papelote (R$ 58,00), assada no papel alumínio, recheada com cebola, champignon,  pimentões, azeitonas e amêndoas, acompanhado de batata sautée e arroz.

image

Truta no papelote

 Bistrô de Paris, Salão de Thé, além das de geleias, compotas, biscoitos, não deixe de provar o delicioso sorvete de limão e manjericão.

image

Bistrô de Paris, Salão de Thé

Vai aí mais uma dica de uma agradável e aconchegante cidade de nosso Brasil. Espero que tenha gostado e sobretudo se estimulado a programar sua viagem. Monte Verde é uma cidade ideal para curtir, romanticamente, o friozinho a dois, mas também atende a viagens em família e para grupo de amigos, desde que gostem de atividades ao ar livre como trilhas, curtir restaurantes e não busquem agito, pois a vocação da cidade é o descanso!!!! Vá conferir!!!

Anúncios